Jornal a Cidade Regional - A melhor divulgação para você

DESAPARECIDOS NO AMAZONAS: Corpo do jornalista e do indigenista Bruno Pereira foram encontrados

Autoridades ainda não confirmaram a informação.
DESAPARECIDOS NO AMAZONAS:  Corpo do jornalista e do indigenista Bruno Pereira foram encontrados

DESAPARECIDOS NO AMAZONAS: Corpo do jornalista e do indigenista Bruno Pereira foram encontrados

G1

A mulher do jornalista britânico Dom Philips, Alessandra Sampaio, disse nesta segunda-feira (13) que o corpo dele e do indigenista Bruno Pereira foram encontrados. Eles estão desaparecidos há mais de uma semana na Terra Indígena Vale do Javari, no Amazonas.

A informação ainda não foi confirmada pelas autoridades brasileiras. A associação indígena que anunciou o desaparecimento dos dois também não confirmou a localização dos corpos.

Segundo Alessandra, a PF lhe confirmou a localização de dois corpos, mas disse que eles ainda precisavam ser periciados para que a identificação pudesse ser feita. A Embaixada Britânica já havia comunicado aos irmãos de Dom Phillips que eram os corpos do jornalista e do indigenista.

Bruno e Dom tinham sido vistos pela última vez no dia 5 ao chegarem a uma localidade chamada comunidade São Rafael. De lá, eles partiram rumo a Atalaia do Norte, viagem que dura aproximadamente duas horas, mas não chegaram ao destino (veja no infográfico abaixo).

No domingo (12), as equipes de busca encontraram uma mochila, um notebook e um par de sandálias na área onde são feitas as buscas pelo jornalista inglês e pelo indigenista no interior do Amazonas.

Segundo as autoridades, o material estava próximo da casa de Amarildo Costa de Oliveira, suspeito de envolvimento no crime.

Mapa mostra onde jornalista e indigenista desapareceram na Amazônia — Foto: Arte/g1

Mapa mostra onde jornalista e indigenista desapareceram na Amazônia — Foto: Arte/g1

 

Quem são Bruno Pereira e Dom Phillips

 

Além de indigenista, pessoa que reconhecidamente apoia a causa indígena, Bruno Pereira é servidor federal licenciado da Funai. Ele também dava suporte a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari,(Univaja) em projetos e ações pontuais.

Segundo a nota da Univaja, Bruno era "experiente e profundo conhecedor da região, pois foi Coordenador Regional da Funai de Atalaia do Norte por anos".

Phillips morava em Salvador e fazia reportagens sobre o Brasil há mais de 15 anos para veículos como Washington Post, New York Times e Financial Times, além do Guardian. Ele também estava trabalhando em um livro sobre meio ambiente com apoio da Fundação Alicia Patterson.

Phillips e Bruno faziam expedições juntos na região desde 2018, de acordo com o The Guardian.

 

Buscas

 

Equipes da Marinha, Exército e Força Nacional foram enviadas à Atalaia do Norte para auxiliarem nas buscas. O Governo do Amazonas também enviou uma força-tarefa da Secretaria e Segurança Pública do Estado composta por policis civis e militares, além de mergulhadores do Corpo de Bombeiros.

As buscas contam, ainda, com o apoio de voluntários e comunitários e indígenas da região. As forças de segurança usaram embarcações e aeronaves nas buscas.

 
As famílias do indigenista e do jornalista fizeram apelos pela celeridade nas buscas. A família falou sobre a angústia na espera de notícias e disse que tinha esperança que os dois tinham sofrido um acidente.

 

OUVIR NOTÍCIA

A mulher do jornalista britânico Dom Philips, Alessandra Sampaio, disse nesta segunda-feira (13) que o corpo dele e do indigenista Bruno Pereira foram encontrados. Eles estão desaparecidos há mais de uma semana na Terra Indígena Vale do Javari, no Amazonas.

A informação ainda não foi confirmada pelas autoridades brasileiras. A associação indígena que anunciou o desaparecimento dos dois também não confirmou a localização dos corpos.

Segundo Alessandra, a PF lhe confirmou a localização de dois corpos, mas disse que eles ainda precisavam ser periciados para que a identificação pudesse ser feita. A Embaixada Britânica já havia comunicado aos irmãos de Dom Phillips que eram os corpos do jornalista e do indigenista.

Bruno e Dom tinham sido vistos pela última vez no dia 5 ao chegarem a uma localidade chamada comunidade São Rafael. De lá, eles partiram rumo a Atalaia do Norte, viagem que dura aproximadamente duas horas, mas não chegaram ao destino (veja no infográfico abaixo).

No domingo (12), as equipes de busca encontraram uma mochila, um notebook e um par de sandálias na área onde são feitas as buscas pelo jornalista inglês e pelo indigenista no interior do Amazonas.

Segundo as autoridades, o material estava próximo da casa de Amarildo Costa de Oliveira, suspeito de envolvimento no crime.

Mapa mostra onde jornalista e indigenista desapareceram na Amazônia — Foto: Arte/g1

Mapa mostra onde jornalista e indigenista desapareceram na Amazônia — Foto: Arte/g1

 

Quem são Bruno Pereira e Dom Phillips

 

Além de indigenista, pessoa que reconhecidamente apoia a causa indígena, Bruno Pereira é servidor federal licenciado da Funai. Ele também dava suporte a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari,(Univaja) em projetos e ações pontuais.

Segundo a nota da Univaja, Bruno era "experiente e profundo conhecedor da região, pois foi Coordenador Regional da Funai de Atalaia do Norte por anos".

Phillips morava em Salvador e fazia reportagens sobre o Brasil há mais de 15 anos para veículos como Washington Post, New York Times e Financial Times, além do Guardian. Ele também estava trabalhando em um livro sobre meio ambiente com apoio da Fundação Alicia Patterson.

Phillips e Bruno faziam expedições juntos na região desde 2018, de acordo com o The Guardian.

 

Buscas

 

Equipes da Marinha, Exército e Força Nacional foram enviadas à Atalaia do Norte para auxiliarem nas buscas. O Governo do Amazonas também enviou uma força-tarefa da Secretaria e Segurança Pública do Estado composta por policis civis e militares, além de mergulhadores do Corpo de Bombeiros.

As buscas contam, ainda, com o apoio de voluntários e comunitários e indígenas da região. As forças de segurança usaram embarcações e aeronaves nas buscas.

 
As famílias do indigenista e do jornalista fizeram apelos pela celeridade nas buscas. A família falou sobre a angústia na espera de notícias e disse que tinha esperança que os dois tinham sofrido um acidente.

 

Fonte

G1

Comentários

Quer mais artigos e as newsletters editoriais no seu e-mail?

Receba as notícias do dia e os alertas de última hora.
[CARREGANDO...]

Confira mais Notícias

Barueri
Furlan diz que novo Hospital Regional de Barueri começa a funcionar em setembro
Furlan diz que novo Hospital Regional de Barueri começa a funcionar em setembro
VISUALIZAR
Política
Datafolha: 70% dos brasileiros estão totalmente decididos em quem votar para presidente
Datafolha: 70% dos brasileiros estão totalmente decididos em quem votar para presidente
VISUALIZAR
Cidades
Programa Asfalta Cajamar finaliza pavimentação em ruas do bairro Jurupari
Programa Asfalta Cajamar finaliza pavimentação em ruas do bairro Jurupari
VISUALIZAR
Santana de Parnaíba
Santana de Parnaíba ocupa 18ª posição do Brasil no Índice Sebrae de Desenvolvimento...
Santana de Parnaíba ocupa 18ª posição do Brasil no Índice Sebrae de Desenvolvimento Econômico Local
VISUALIZAR
Carapicuíba
Prefeitura de Carapicuíba inaugura CEEAC Planalto com show do Patati Patatá no domingo
Prefeitura de Carapicuíba inaugura CEEAC Planalto com show do Patati Patatá no domingo
VISUALIZAR
Cidades
INTERNET MAIS RÁPIDA: Entidade criada por operadoras inicia procedimentos para liberar sinal...
INTERNET MAIS RÁPIDA:  Entidade criada por operadoras inicia procedimentos para liberar sinal do 5G em Brasília
VISUALIZAR
Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )