Jornal a Cidade Regional - A melhor divulgação para você

Empresário é preso em casa de alto padrão em Goiânia suspeito de mandar queimar helicópteros do Ibama no AM

Na semana passada, Polícia Federal já havia prendido os outros cinco envolvidos.
Empresário é preso em casa de alto padrão em Goiânia suspeito de mandar queimar helicópteros do Ibama no AM

Empresário é preso em casa de alto padrão em Goiânia suspeito de mandar queimar helicópteros do Ibama no AM

G1.globo.com

O empresário Aparecido Naves Junior, de 35 anos, foi preso pela Polícia Federal por suspeita de ordenar o ataque que incendiou dois helicópteros do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em Manaus.

Ele foi preso em uma casa de alto padrão, em um condomínio de luxo de Goiânia (GO), na tarde desta quarta-feira (2). O ataque contra as aeronaves aconteceu no dia 24 de janeiro. Outras cinco pessoas foram presas.

O g1 ainda não conseguiu contato com a defesa do empresário.

Empresário é preso em casa de alto padrão em Goiânia suspeito de mandar queimar helicópteros do Ibama no Amazonas. — Foto: Divulgação/PF

Empresário é preso em casa de alto padrão em Goiânia suspeito de mandar queimar helicópteros do Ibama no Amazonas. — Foto: Divulgação/PF


Segundo o superintendente da PF no Amazonas, Leandro Almada, investigações constataram o vínculo do empresário comatividade ilegal de garimpo na terra indígena Yanomami, em Boa Vista (RR).

 

"A motivação do crime foi o prejuízo que ele sofreu em ações de fiscalização tanto do Ibama, com utilização dessas aeronaves, quanto da Polícia Federal, no decorrer de 2021", disse.

A prisão ocorreu dentro da Operação Acauã, que tem como objetivo de apurar os crimes de incêndio, dano qualificado e associação criminosa, que acarretaram na destruição total de uma aeronave e parcial de outra.

Presos apontaram envolvimento de empresário

 

Na semana passada, a Polícia Federal prendeu outros cinco suspeitos de envolvimento no ataque:

 

  • o motorista, suspeito de ter levado e retirado os executores da cena do crime;
  • dois suspeitos de incendiar as aeronaves;
  • dois suspeitos de intermediar o agenciamento dos incendiários e repassar o pagamento pelos crimes.

Segundo a PF, o motorista foi preso um dia após o ataque, a partir da identificação do carro usado na fuga dos suspeitos. A partir daí, a polícia chegou aos outros quatro envolvidos.

Ainda conforme a PF, após confessarem participação no atentado, todos os envolvidos reconheceram o empresário Aparecido Naves Júnior como mandante do crime.

OUVIR NOTÍCIA

O empresário Aparecido Naves Junior, de 35 anos, foi preso pela Polícia Federal por suspeita de ordenar o ataque que incendiou dois helicópteros do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em Manaus.

Ele foi preso em uma casa de alto padrão, em um condomínio de luxo de Goiânia (GO), na tarde desta quarta-feira (2). O ataque contra as aeronaves aconteceu no dia 24 de janeiro. Outras cinco pessoas foram presas.

O g1 ainda não conseguiu contato com a defesa do empresário.

Empresário é preso em casa de alto padrão em Goiânia suspeito de mandar queimar helicópteros do Ibama no Amazonas. — Foto: Divulgação/PF

Empresário é preso em casa de alto padrão em Goiânia suspeito de mandar queimar helicópteros do Ibama no Amazonas. — Foto: Divulgação/PF


Segundo o superintendente da PF no Amazonas, Leandro Almada, investigações constataram o vínculo do empresário comatividade ilegal de garimpo na terra indígena Yanomami, em Boa Vista (RR).

 

"A motivação do crime foi o prejuízo que ele sofreu em ações de fiscalização tanto do Ibama, com utilização dessas aeronaves, quanto da Polícia Federal, no decorrer de 2021", disse.

A prisão ocorreu dentro da Operação Acauã, que tem como objetivo de apurar os crimes de incêndio, dano qualificado e associação criminosa, que acarretaram na destruição total de uma aeronave e parcial de outra.

Presos apontaram envolvimento de empresário

 

Na semana passada, a Polícia Federal prendeu outros cinco suspeitos de envolvimento no ataque:

 

  • o motorista, suspeito de ter levado e retirado os executores da cena do crime;
  • dois suspeitos de incendiar as aeronaves;
  • dois suspeitos de intermediar o agenciamento dos incendiários e repassar o pagamento pelos crimes.

Segundo a PF, o motorista foi preso um dia após o ataque, a partir da identificação do carro usado na fuga dos suspeitos. A partir daí, a polícia chegou aos outros quatro envolvidos.

Ainda conforme a PF, após confessarem participação no atentado, todos os envolvidos reconheceram o empresário Aparecido Naves Júnior como mandante do crime.

Fonte

G1.globo.com

Comentários

Quer mais artigos e as newsletters editoriais no seu e-mail?

Receba as notícias do dia e os alertas de última hora.
[CARREGANDO...]

Confira mais Notícias

Jandira
Doutor Sato participa de ação do programa Governo na Área, iniciativa do governador Rodrigo...
Doutor Sato participa de ação do programa Governo na Área, iniciativa do governador Rodrigo Garcia
VISUALIZAR
Barueri
Evento do Governo do Estado em Barueri anuncia investimentos em obras e serviços
Evento do Governo do Estado em Barueri anuncia investimentos em obras e serviços
VISUALIZAR
Economia
Inflação dos alimentos: o que pensam os pré-candidatos à Presidência
Inflação dos alimentos: o que pensam os pré-candidatos à Presidência
VISUALIZAR
Osasco
Curso em Osasco incentiva formação de novas startups
Curso em Osasco incentiva formação de novas startups
VISUALIZAR
Cidades
Lello abre 80 vagas de emprego na grande São Paulo, no litoral e no interior
Lello abre 80 vagas de emprego na grande São Paulo, no litoral e no interior
VISUALIZAR
Barueri
Parque da Maturidade sedia evento Viva a Vida
Parque da Maturidade sedia evento Viva a Vida
VISUALIZAR
Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )